F12013 Bahrain

Bahrain
Eu me propus várias vezes a fazer postagens regulares, mas nunca consegui. A proposta de fazer comentários sobre TODAS as corridas de F1 desse ano também é uma tentativa de criar uma certa disciplina de postagens. Infelizmente, eu tenho uma vida com muitas obrigações que me impedem de manter qualquer ritmo e acabei atrasando essa aqui.
De qualquer forma, depois de uma longa espera, venho fazer alguns comentários sobre o Grande Prêmio do Bahrain. E aliás, pode-se chamar essa corrida de GRANDE PRÊMIO! Muitas ultrapassagens, emoção e (quase) tudo que um fã de automobilismo gosta.
Primeira coisa  a se comentar é, como espectador da corrida na Globo, o Rubens Barrichello estreando definitivamente como comentarista. Eu apoio totalmente: além de manjar tudo de corridas, o cara é carismático e tem livre circulação entre os pilotos, mecânicos e dirigentes da F1. Claro que ele ainda tá meio travado, mas ninguém melhor pra tirar um comentário interessante, revelador ou engraçado dessa galera por vezes muito corporativista.
Bem, mas vamos aos comentários sobre a corrida pois, como diz o poeta e ensaísta Beto Jamaica, essa é a mistura do Brasil com o Egito: tem que ter charme pra ficar bonito!

Charme

2013 FORMULA 1 GULF AIR BAHRAIN GRAND PRIX

Sakhir
Data da Corrida: 21 Abr 2013
Nome do Circuito: Bahrain International Circuit
Primeiro Grande Prêmio: 2004
Número de Voltas: 57
Tamanho do Circuito: 5.412 km
Total da corrida: 308.238 km
Recorde de Volta: 1:31.447 – P. de la Rosa (2005)
fonte: formula1.com
Acho que o maior destaque que eu posso fazer nessa corrida – quanto a briga pelo campeonato – é para o desempenho da Lotus. A scuderia já tinha demonstrado ter um belo carro ano passado, e esse ano já começou com a vitória de Raikkonen. Agora surge como a real ameaça a hegemonia de anos da Red Bull, que parece poder confiar pra valer apenas no talento de Vettel – pois Mark Webber ainda se encontra bem azarado. 

A Mercedes parece ter um carro que rende mais para classificações que para corrida, tanto que ninguém em sã consciência apostava na vitória de Rosberg. Mas, mesmo tendo chegado atrás do companheiro Hamilton, Rosberg parece determinado a mostrar serviço, garantindo belos pegas por toda a corrida.
Outro que quer mostrar serviço mas acaba, com isso, se tornando um perigo, é o mexicano da McLaren. Pérez não é um mal piloto, mas é muito estabanado. A inconsequência é um fator essencial para um grande piloto, e eu aplaudo sua ousadia e acho que ele tem que continuar nessa toada, mas me parece evidente que a promoção do moço para uma equipe de ponta foi realmente muito precoce. A disputa com Button foi fantástica, e a sua ultrapassagem sobre Alonso de aplaudir de pé, mas ainda assim é um cara que leva muito, mas muito perigo a cada ataque que realiza. Eu prefiro ele assim, atacando. E aplaudo a equipe por deixar seus dois pilotos se pegarem sem medo, como na clássica era Prost x Senna – aprende Ferrari.

Índia
E, mais uma vez, temos que repetir a ladainha: de olho nessa Force India. Por pouco, muito pouco mesmo, o Paul di Resta não chegou em 3º – até 2º! É um dos melhores carros no grid, com dois pilotos que, provavelmente por nunca terem tido uma grande chance, se mostram cada dia mais arrojados e dispostos a mostrar serviço. O escocês não apenas quase chegou no pódio como foi o grande merecedor dessa posição. Na real, o Di Resta SOBROU nessa corrida (Ô Cazabé! Olha eu aqui!)
O destaque negativo vai para o azar enorme que a Ferrari deu. Parte da coisa, na verdade, não é azar em si: a péssima corrida do Massa, pra mim, é culpa da Pirelli e seus pneus “duros” que duraram 10 voltas! Era evidente para todos que o brasileiro tinha uma das melhores estratégias do grid, saindo com pneus duros em uma posição intermediária, ele se garantiria depois das paradas dos adversários. Mas os pneus duros não duraram nada, e depois ele teve que arcar com dois, DOIS pneus furados!
As novas contratações da Ferrari
Já Fernandinho teve um problema inusitado: a asa móvel travou aberta! Daí rolou aquele momento “Tonhão da Borracharia”, com o mecânico tendo que resolver o problema com a clássica pancadinha! Acho que, de tanto lidarem com computadores e máquinas que trocam pneus em 3 segundos, os mecânicos da F1 devem por vezes se esquecer seu parentesco com os profissionais do martelinho de ouro. Dica pra Ferrari: se mandassem o Alonso estacionar na borracharia aqui perto de casa ele não apenas tinha conseguido usar o DRS no resto da corrida sem problemas como ganharia uma lavagem de graça.
Por fim, como esperado, Vettel sobrou e ganhou. Isso, porém, não garante um favoritismo tão imenso pro alemão, pois se conseguir escapar das presepadas da dupla Ferrari/azar, Alonso é ainda franco favorito. Coloco ainda no páreo o nosso amigão Kimi, que pode vir comendo pelas beiradas e chegar no título – e é o piloto pra quem mais torço nesse grid – e só. Não vejo ninguém ali com força pra fazer frente a esses três. A única equipe que eu realmente acho que vai ameaçar o trio Red Bull/Ferrari/Lotus é a Force India, mas não sei se seus pilotos tem braço pra disputar pau a pau com os três campeões do mundo. Eu adoraria ver isso, pois a equipe do Mallya tá merecendo!
A festa dos mecânicos da Force India, depois do 4º lugar do di Resta.
RESULTADOS
Pos No Driver Team Laps Time/Retired Grid Pts
1 1 Sebastian Vettel Red Bull Racing-Renault 57 1:36:00.498 2 25
2 7 Kimi Räikkönen Lotus-Renault 57 +9.1 secs 8 18
3 8 Romain Grosjean Lotus-Renault 57 +19.5 secs 11 15
4 14 Paul di Resta Force India-Mercedes 57 +21.7 secs 5 12
5 10 Lewis Hamilton Mercedes 57 +35.2 secs 9 10
6 6 Sergio Perez McLaren-Mercedes 57 +35.9 secs 12 8
7 2 Mark Webber Red Bull Racing-Renault 57 +37.2 secs 7 6
8 3 Fernando Alonso Ferrari 57 +37.5 secs 3 4
9 9 Nico Rosberg Mercedes 57 +41.1 secs 1 2
10 5 Jenson Button McLaren-Mercedes 57 +46.6 secs 10 1
11 16 Pastor Maldonado Williams-Renault 57 +66.4 secs 17
12 11 Nico Hulkenberg Sauber-Ferrari 57 +72.9 secs 14
13 15 Adrian Sutil Force India-Mercedes 57 +76.7 secs 6
14 17 Valtteri Bottas Williams-Renault 57 +81.5 secs 15
15 4 Felipe Massa Ferrari 57 +86.3 secs 4
16 19 Daniel Ricciardo STR-Ferrari 56 +1 Lap 13
17 20 Charles Pic Caterham-Renault 56 +1 Lap 18
18 12 Esteban Gutierrez Sauber-Ferrari 56 +1 Lap 22
19 22 Jules Bianchi Marussia-Cosworth 56 +1 Lap 19
20 23 Max Chilton Marussia-Cosworth 56 +1 Lap 21
21 21 Giedo van der Garde Caterham-Renault 55 +2 Laps 20
Ret 18 Jean-Eric Vergne STR-Ferrari 16 Accident damage 16

Fonte: Formula1.com

Destaques


Melhor da Corrida: Vettel, foi constante e preciso, mas eu divido o prêmio com o Paul di Resta e toda a Force India.
Pior da Corrida: Ferrari, mais por azar que por incompetência dessa vez.
Surpresa: Paul di Resta, que mereceu MUITO um pódio.
Troféu Ukyo Katayama: Pneus Pirelli, também conhecidos como pneus Paçoquita.

Momento “Suruba aonde, porra”: “Nós acompanhamos a comemoração (do título) até o ponto que se dá pra acompanhar uma comemoração de Keke Rosberg”.

Sr. Galvão Bueno durante o treino classificatório, lembrando-se de quando recusou uma bela suruba promovida pelo pai do Nico.

E dia 12 de maio: Barcelona em crise!

Barcelona…


E tome cuidado Vettel: se outro alemão ganhar lá, acho que rola guerra civil… hahahahahahaha

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s