Libertadores é Cosa Nostra

http://admala.deviantart.com/art/Blind-Deaf-Mute-90007490

Uma coisa que me irrita (porque hoje acordei revoltadinho, bebê) é a sanha de “corinthianice” nesse dia de final. Sei que há uma onda a favor do Boca, aquela que só quer ver o Corinthians perder, que sempre vai ser assim porque a rivalidade futebolística é eterna. Mas há algo mais grave, que os torcedores desse time não percebem, é o quanto todos perdem com essa vitória. A CBF, por exemplo, mudou o jogo Palmeiras e Coritiba pela final da Copa do Brasil de horário em prol da transmissão da Globo da Libertadores. Sim, foi um erro marcar esse jogo para a mesma semana da final do mais importante torneio das Américas – e nem adianta falar em Copa América, só gente inocente acredita nisso -, mas isso não dá a CBF e Globo o direito de prejudicar os times, especialmente o torcedor Palmeirense, que vai ter que ir às 21h50 para o estádio e voltar pra casa sabe-se lá como. A ideia, provavelmente, é não “prejudicar” sua grade televisiva (= novelas) com duas transmissões de jogos em seguida, quando sabe-se que a transmissão da final da Copa do Brasil não terá tanta audiência quanto o jogo da Libertadores.
Mas eis que, para o espanto geral, a Globo decidiu não transmitir o jogo da Copa do Brasil! Como diz a notícia, querem evitar que o jogo prejudique a audiência da estreia da mais nova bobagem do Pedro Bial (que um dia já foi jornalista) e da novela Gabriela. Como sabemos, desde a ditadura quem define os campeonatos e suas tabelas é a Globo, não por acaso, sempre temos jogos de Corinthians em “dias de transmissão”, quarta-feira e domingo. Tanto que as pessoas nem param pra pensar que foi a própria Globo quem criou esse hábito de que jogos de futebol são sempre nos mesmos dias e horários.
O site Verdazzo publicou uma manifestação de repúdio à decisão da Globo, o que pode soar como birra de palmeirense para alguns. Mas se fosse o seu time o prejudicado, você também não ficaria enfurecido? Além do que, como rival histórico, a promoção do Corinthians é a maior violência que poderia ocorrer contra um palmeirense.
http://mariangela-variedades.blogspot.com.br/2010/09/mais-voce-presta-homenagem-ao.html
Na verdade, eu afirmo mais: na sua gana de salvar a sua moribunda audiência e seus parceiros comerciais de erros estratégicos diversos cometidos nos últimos anos, a Globo transformou o Corinthians em inimigo público nº1. Não que antes os torcedores não torcessem contra, mas o verdadeiro ódio contra o time e o torcedor do Corinthians cresceu mesmo desde a vitória do Mundial em 2000. Quer tirar a prova é só entrar no facebook, o melhor termômetro do comportamento humano atual, para ter a noção de que as provocações em geral tem um gosto de amargura, a que o torcedor corinthiano cego classifica como inveja. Essa amargura acompanha o torcedor brasileiro em geral há anos, mas cresceu muito desde que “ousaram” dizer que o Corinthians era o único time ganhador de um mundial interclubes. Isso ofendeu principalmente os torcedores de São Paulo e Santos, até então únicos detentores do título no estado, e de Palmeiras, há anos lutando pelo título e que já tinha ganho algo que o Corinthians ainda almejava: a tal Libertadores. Como um time que não passou pelo torneio americano pode se dar ao luxo de se dizer Campeão do Mundo? A incompetência da Fifa serviu apenas de combustível para a rixa.
Mas a “corinthianização” da mídia não seria nada se a CBF não contribuísse para tanto. Com o elefante branco chamado Itaquerão realizou-se um duplo crime: sobre a esperança do Corinthiano em ter seu estádio oficial – e que cruel é jogar com as esperanças dos homens -, construiu-se um duto de escoamento de dinheiro público muito útil aos cartolas e políticos interessados na Copa do Mundo. E com um garoto propaganda como o Lula, nada pode dar errado né? Até porque ele só é garoto propaganda de algo, pra mídia, quando sua figura “popular” pode “vender” alguma coisa.
http://esportes.r7.com/blogs/cosme-rimoli/tag/andres-sanches/
O Itaquerão não é o único exemplo de desmando da CBF, óbvio, ela é historicamente uma instituição podre. Mas a partir do momento que CBF e Globo se aliam, a coisa fica feia. A Globo defende a CBF como quem defende um filho, isso todo mundo sabe. Nessa, a escolha dos estádios da copa ficou totalmente enviesada em prol dos mandos políticos, baseada na incompetência política de dirigentes dos outros clubes brasileiros e na esperteza de um certo Andrés Sanchez.
Andrés é esperto, cobra criada. Ao virar gente graúda, fez o que quis da CBF, ou seja, botou o Mano Menezes na seleção e conquistou apoio para o Itaquerão. Assim, da mesma forma, fez o seu time crescer em importância econômica e política, coisa relegada aos cariocas ou aos playboys do SPFC. O Corinthiano se esquece que esse iminente fumante é cria do mafioso Dualib, e que eles foram reponsáveis por instalar a máfia russa, trazendo MSI e Kia pro time. A ilusão de Carlitos Tevez culminou num rebaixamento, a maior vergonha para o Corinthians em sua história. Mas, tal qual os três macacos sábios, não se ouve, vê nem se fala nada. E, claro, com o sucesso do Corinthians, as figurinhas carimbadas reaparecem. Se o time está ganhando, ninguém se importa com corrupção, seja no futebol, seja na política. O rouba mas faz não é exclusividade do mais novo aliado do Lula.
Em matéria muito reveladora do caráter do Sánchez e das diretrizes tomadas nas decisões por trás da Copa do Mundo, temos a seguinte situação, em matéria da Revista Época (e reproduzida daqui):

“Não aguento mais essa p…”, gritou Sanchez, em sua sala de presidente, numa fria manhã de setembro. “Fico aí, me matando, e ainda sou chamado de ladrão.” O palavrão designa o clube com uma das maiores torcidas do Brasil. Mas é apenas um desabafo. No fundo, Sanchez é um sujeito profissionalmente feliz. Sabe que faz a gestão mais produtiva da história do clube. Controversa, sim. Mas vai deixar um legado inegável: um centro de treinamento que custou R$ 50 milhões e é o mais moderno da América Latina, a terceira camisa mais valorizada publicitariamente em todo o mundo e o clube brasileiro que mais arrecada com propaganda. De acordo com a consultoria financeira Crowe Horwath RCS, cujo sócio brasileiro é o vice-presidente de finanças Raul Correa da Silva, a marca Corinthians passou a ter o maior valor de mercado do futebol brasileiro: R$ 867 milhões. O Corinthians ainda terá, em dois anos, um estádio próprio na Zona Leste paulistana, o Itaquerão. Ele está sendo construído pela Odebrecht – ao anunciado custo de R$ 780 milhões. Sanchez aposta que será lá o jogo de abertura da Copa do Mundo de 2014. Ao ser perguntado sobre o Itaquerão, obra que só vai sair graças a um financiamento a juros baixos do BNDES e a incentivos fiscais dos poderes públicos, Sanchez travou o seguinte diálogo com o repórter de ÉPOCA: 
– Quem fez o estádio fui eu e o Lula. Garanto que vai custar mais de R$ 1 bilhão. Ponto. A parte financeira ninguém mexeu. Só eu, o Lula e o Emílio Odebrecht (presidente do Conselho de Administração da Odebrecht).
– O dia em que essa história vier a público, vai ficar feio para quem?
– Não vai ficar feio pra ninguém. Vai ficar, talvez, não imoral, mas difícil para o Lula.
– Por quê?
– Porque vão falar: “Pô, como é que uma empreiteira se submete a fazer isso? Por que o presidente pediu?”. É o que insinuam até hoje.

http://www.quidnovi.com.br/novo/noticia/detalhe.asp?c=6758&t=R
As propícias e suspeitas alianças tem dedo de mais gente graúda. O primeiro é Ronaldo, que de jogador em fim de carreira se tornou influente empresário e mediador de várias tramoias do meio. Ele assumiu a carapuça, virou ecude de Andrés e Ricardo Teixeira, e não aprece se sentir desconfortável com isso. Ainda mais que é amigo de gente muito influente e perigosa, como os supracitados, além de Luciano Huck, o braço mais tucano – e também global – desses criminosos. Eles formam um bloco de bastidores muito firme e que emprega todos os esforços pra ganhar dinheiro e cada vez mais influência política no meio não apenas futebolístico, mas midiático também. Afinal de contas, o narigudo apresentador é figurinha fácil em todas as páginas de facebook no Brasil, né? 
E o termômetro do sucesso do Corinthians é o ibope da Globo, que mesmo com o projeto centenário fracassando continuou em alta. E os bastidores dessa final são assustadores de acompanhar. Com a entrada da Fox Sports no mercado das tvs por assinatura, o filhote esportivo da Globo na tv fechada, o Sportv, perdeu muita força. A Fox exigiu os direitos de transmissão da Libertadores, o que gerou toda uma celeuma que quase culmina na não entrada do canal na tevê por assinatura no Brasil, o que demonstra a influência que a Globo tem. Perdendo boa parte do campeonato e a sua audiência, a Globo tomou um violento golpe na sua já decadente audiência. E teve que reagir.
Com jogos de outros times (como o próprio Palmeiras) atingindo abismos de 12 pontos de audiência, e jogos como o Corinthians e Vasco atingindo 34, fica evidente o porque da Globo achar que o Corinthians é “o Brasil na Libertadores”. Daí você vê que o jogo contra o Santos rendeu 43 pontos, melhor audiência da Globo desde 2010, e que o da Bombonera deu 42… não tem como ficar alheio a esses dados. Ainda mais quando você quem está ganhando dinheiro com isso (dados do Cosme Rímoli).
E tome Corinthians na tv: Romarinho virou o novo Neymar, Galvão deixou de ser vascaíno e virou Corinthiano, e hoje de manhã, até o Louro José está fazendo propaganda do Corinthians. 
Pra mim, o Corinthians é o favorito ao título, pois o maior craque desse time se chama Tite, o técnico em seu melhor momento no Brasil e no auge de sua carreira. E não se assuste se, numa cartada genial, o Tite assumir a Seleção depois do fracasso do time de Mano nas Olimpíadas. Até porque, já que essa competição foi tirada da Globo, ela não mais interessa, né? É até melhor que o time perca, daí o Corinthians ganha o Mundial e o Tite vira o técnico pra copa.
http://www.paraiba.com.br/2012/06/29/00455-dani-bolina-faz-camisa-do-boca-juniors-de-pano-de-chao-em-ensaio
Não é birra de São Paulino, porque se meu time não está aí é por uma gigantesca incompetência de sua diretoria. Sou o primeiro a atacar Juvenal Juvêncio e sua gana pelo poder, e torço de verdade para que meu time perca esse Brasileiro e mude alguma coisa na sua política, antes que seja tarde demais e aconteça o que aconteceu com Corinthians, Palmeiras, Grêmio, etc. Mas o Corinthians e sua diretoria são reincidentes e estão, junto da CBF e dos cartolas de outros clubes (Juvenal incluso) pisando sem dó no brasileiro. Esse povo que apoia as torcidas organizadas, que se envolve em política pra roubar descaradamente, que tem rolo com bandidos, é o povo que manda no futebol brasileiro. E, como o velho recurso do pão e circo, a vitória do Corinthians só servirá pra levantar a bola da tão criticada Copa do Mundo, justificando cada insensatez desse projeto maluco.
O problema é que o corinthiano não lerá esse texto como algo além de “birra de bambi”. Ele não reconhecerá nada do que eu disse como algo ruim, como algo deplorável na verdade. Ele continuará, pela paixão cega e burra, alimentando esse círculo vicioso de intrigas e desmandos. Ele vai apoiar seu time até onde for, e eu entendo, pois é isso que um torcedor deve fazer. Provocar, aliás, é a alma do futebol. Não vou torcer pelo Boca apenas pelo descrito acima, mas também porque sou de uma torcida rival, é óbvio. Só que ser torcedor não me faz um alienado, um burro que empaca na própria ignorância e deixa se levar pelo discurso do “é campeão”. Você, antes de ser torcedor é um ser pensante. O que leva meu irmão, por exemplo, a me questionar enquanto eu escrevo esse texto se eu tenho meu endereço real divulgado na internet. Sim, pois, o medo dele é que eu fosse agredido ou coisa pior por escrever um texto como esse. Ele sabe que a maioria das pessoas que age por paixão age de maneira irracional, e não tira a camisa de torcedor quando precisa refletir com parcimônia sobre as coisas. 
Eu sei que existem corinthianos conscientes, porque uma nação como essa produziu gente como o grande Sócrates. É uma nação grande, que merece ser respeitada e tratada com a importância que tem. Mas há muito tempo faltam os pilares básicos da democracia aos que gerem o clube. A vitória do Corinthians será a vitória de um jeito errado e criminoso de gerir um esporte. O Corinthiano MERECE uma Libertadores, o Tite merece, o Romarinho, o Danilo, o Jorge Henrique, o Cássio… mas o Brasil não merece a perpetuação desse modus operandi.

Ainda bem que o Magrão morreu antes de testemunhar o que estão fazendo com seu clube.

http://www.criativodegalochas.com/2011/12/04/socrates-saiba-tudo-sobre-a-vida-e-carreia-do-doutor/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s