Top 5 da semana: Progressivo

O Rock progressivo de vez em quando volta ao meu player. E aproveitando, seguem as cinco bandas que ouço essa semana, com resuminhos explicativos de cada uma (não elaborados por mim, é claro, hehehehe):

5 – Egg – While growing my hair
Álbum: Egg

“Egg foi uma banda britânica de rock progressivo formada em julho de 1968 pelo tecladista Dave Stewart, pelo baixista Mont Campbell e pelo vocalista e baterista Clive Brooks. A banda surgiu a partir de um quarteto do City of London Boys School chamado Uriel (que ainda lançou um álbum usando o nome Arzachel) com o guitarrista Steve Hillage).
São frequentemente categorizados como parte da cena Canterbury, um movimento do rock progressivo e do rock psicodélico, mas Stewart negou qualquer conexão com a geografia. Sua música é descrita como rock progressivo com elementos psicodélicos. Empregaram compassos de tempo incomuns, como refletido em canções como Seven Is A Jolly Good Time.” Fonte: Wikipédia.

4 – Emerson, Lake & Palmer – Piano Concerto nº1
Álbum: Works vol 1

“A banda foi formada em 1970. Seu nome quase foi Hendrix, Emerson, Lake, and Palmer (ou HELP). Em 1969, Keith Emerson estava tocando com os The Nice, e Greg Lake estava tocando com o King Crimson. Após tocarem nos mesmos concertos algumas vezes, os dois tentaram trabalhar em conjunto, mas perceberam que seus estilos não eram compatíveis, mas sim complementares. Eles desejavam se tornar uma banda composta por teclado, baixo e bateria, algo que nunca havia sido feito ateriormente, mas sentiram que era algo utópico, e então saíram a procura de um baterista. Antes de confirmar Carl Palmer na banda, Mitch Mitchell (do The Jimi Hendrix Experience) foi contactado. Ele não se interessou mas passou a idéia para Jimi Hendrix. Hendrix, cansado de sua banda e querendo experimentar idéias diferentes, expressou interesse em tocar com o grupo. Por conflitos nas agendas dos músicos isso não foi possível inicialmente, mas o plano era unir Hendrix no Isle of Wight Festival (em 1970). Infelizmente Hendrix faleceu, reduzindo a banda à Emerson, Lake and Palmer.”
Fonte: Wikipédia.

Imagina se o Hendrix fosse parte dessa banda! Meu, que loucura!!!
Bem…
Acabei de baixar essa doideira que é o works e essa música que segue é o exemplo que o Keith Emerson é mesmo um PUTA PIANISTA!!!

3 – Amazing Blondel – Three Season Almain
Álbum: Fantasia Lindum

“Grupo formado por 3 músicos originários da cidade de Scunthorpe na Inglaterra, John David Gladwin (alaúde, oboé, cittern, baixo), Terry Wincott (órgão de tubo, harmônio, cítara, flautas diversas, crumhorn, percussão, violão), e Edward Baird (violão, percussão).
Seu nome é uma homenagem a um antigo menestrel dos tempos do rei Ricardo Coração de Leão.
Gladwin e Wincott fundaram a banda no outono de 1969 como um duo após o término da banda Methuselah do qual ambos faziam parte. A única certeza que tinham é que estavam fartos de hard rock e barulho !
Musicalmente, possuem um tom ligeiramente excêntrico, doce e um pouco fora de época.
É uma banda genuinamente inglesa, isso é inequívoco ! Sua música, remete ao passado, resgatando antigas melodias e instrumentos da idade média e renascença,desta combinação improvável criaram um estilo único e inconfundível.”
Fonte: Progressive Egg

Tipo, sabe idade média? Menestréis e talz? Então:

2 – Gentle Giant – Pantagruel’s Nativity
Álbum: Acquiring the taste

“Gentle Giant – foi uma banda de rock progressivo britânico formada em 1970 pelos três irmãos Shulman, após o término da banda pop Simon Dupree and the Big Sound em 1969. Gravaram doze álbuns entre 1970 e 1980.

Inspirados por antigos filósofos, eventos pessoais e os trabalhos de François Rabelais, a proposta da banda era:

“expandir as fronteiras da música popular contemporânea, com o risco de se tornar muito impopular. “
Novamente a fonte: Wikipédia

E para exemplificar esse trabalho com Rabelais, Pantagruel’s Nativity:

1 – Van Der Graaf Generator – Refugees
Álbum: – The Least We Can Do Is Wave to Each Other

“Quando estudava em Manchester, Peter Hammill conheceu o baterista Chris Judge Smith e o organista Nick Pearne, com quem fundou o Van der Graaf Generator, banda ímpar de rock progressivo, que experimentou sons e textos ousados, transformando-se num dos mais cultuados grupos de rock de todos os tempos, apesar de pouco divulgado pela mídia e, consequentemente, pouco conhecido do grande público.
O trio, Hammill, Smith e Pearne, gravou um compacto simples pela Polydor inglesa, contendo as músicas “Firebrand” e “People You Are Going To” (esta gravada posteriormante por PH em seu álbum solo, Nadir’s Big Chance). O disco não aconteceu…
Smith e Hammill deixaram Manchester, e em abril de 1968, formaram um grupo chamado Heebalob. Ai, estavam Hugh Banton (teclados) e David Jackson( sax e flauta). Essa formação se manteve até junho,quando Smith saiu,sendo substituído por Guy Evans.
Com o antigo nome, Van der Graaf Generator, e com um baixista, Keith Ellis, continuaram a banda, realizando apresentações locais. “
Fonte: http://www.leyline.com.br/VdGG.htm

Tô ouvindo esse álbum agora e… pai amado, como esse tal de Peter Hammil é genial…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s