Melhores discos de 2008 (cont.)

PRÉ-FACIO

Tem um monte de disco que eu não ouvi em 2008. Eu não ouvi ou por falta de tempo, por lembrança ou por oportunidade. Não ouvi o novo do The Cure e do Bruce Springsteen. E tem coisas que só ouvi esse ano, no começo de 2009… mais exaCtamente essa semana, e que estariam nessa lista.
Mas, a título de continuação, vou prosseguir do ponto onde parei. Considerando que não houve ainda na minha lista um disco que seja páreo pro Haggard, que falta falar? Pela minha lista, eu já perdi o rumo na ordem aNAlfabétRica. E pra nao me repetir, não vou falar do Queen+PR nem do Keane e nem do Van Canto, ok?
Vamolá então.

Kings of Leon – Sex on fire (Only by the night)
TIO, O NOME DO DISCO TÀ ERRADO! Não tá não, heheheh. Sex on Fire resume um excelente disco de uma banda que nunca me chamou muito a atenção. Era legalzinha e só. Mas quando ouvi Sex on Fire, fui lá buscar o resto da discografia e me vi diante de uma banda excelente que merecia mais da minha atenção mesmo. Pra mim, esse é o melhor trabalho deles. Destacando Crawl, Manhattan, Revelry (eu sou um romântico, adoro baladas) e é claro Sex on Fire.
Nota 9 pra esse.

Mars Volta – The Bedlam in Goliath
Animal. Não é a coisa mais impressionante que eles já fizeram, mas qualquer coisa que o Mars Volta faça é 1.000.000.000.000.000.000 vezes melhor que a maioria do que rola por aí. Gostei principalmente do peso e do swing. Eles são mesmo uma banda única. Nota 8,5.

Metallica – Death Magnetic (ou A Ressurreição).
Pruma banda que não lançava nada desde 1991, os caras voltaram com força total. Um puta disco, que prova que eles são quem são e não à toa. Ah, e se todas as músicas do álbum seguinte deles forem com My Apocalipse, nós talvez tenhamos nesse futuro o melhor álbum dos caras. Esse é o Metalica da minha infância. Ué? Você está me dizendo que eles lançaram discos depois de 1991? Fazmerir, infiel. Nota 8,5 pra eles e -15 pra você, seu bosta. Hail the TRUE Trash metal!

Nick Cave and the Bad Seeds – Dig, Lazarus, Dig!!!
Preciso ouvir mais esse disco… Mas Nick Cave é rei, e ponto. Discografia impecável, um gênio há mais de 20 anos. Nada mais a declarar. Nota 9.

Northern Kings – Rethroned
HAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH… Rir foi a primeira coisa que eu fiz quando vi esse clipe, e olha que ele é do primeiro disco dos caras. O que é isso? Bem, os caras são quatro vozes de quatro bandas do cacete, que representam o puro metal true do norte (e de Thor), fazendo… covers? De Bon Jovi? Seal?! SINEAD O’CONNOR?!?! DURAN DURAN?!?!?!? KYLIE MINOGUE?!?!?!?!?!?!? hehehehehehehehehe…
Meu, sinceramente… ouçam esse disco. É das coisas mais legais (apesar de não ser original, já que o attocity já faz isso) e cômicas da história. Nota 9, e isso porque eu nem disse que tem Strangelove da minha banda preferida, Depeche Mode. E My Way do Frank Sinatra. Hehehehehe…

Opeth – Watershed
Não que esse disco seja o divisor de águas da banda. Mas o Opeth há muito tempo é o divisor de águas do metal. Quiçá do rock. Falo isso sem medo de represálias, pois o Opeth tá fazendo algo que quase NINGUÉM tá fazendo com o metal e com o rock atualmente: injetando inteligência. Duvida? Ouça Burden por exemplo!. Quando me dizem que coisas como os “Macacos Árticos” e o “Cansei de ser Chatas” e Cia são a salvação do rock, eu penso porque as pessoas encaram o heavy metal como coisa de adolescente. Sério mesmo? Ouça Opeth e depois venha falar comigo.
O Watershed? Ah, nota 10. Como todos os discos do Opeth, não é apenas música: é arte.

Trivium – Shogun
Nossa, como tem disco de metal nessa lista. Sou eu que subestimo demais, ou houve um salto de qualidade nas produções metálicas esse ano? Bem, Trivium foi uma grata surpresa pra mim esse ano. Eles são meio o que eu esperaria que o Metallica fosse se não tivesse passado quase 20 anos hibernando. Hoje, os caras do Metallica vão ter que comer poeira pra chegar perto da qualidade de um Trivium. Trash de primeira. Nota 9,5.

Elbow – The Seldom Seen Kid
A banda mais injustiçada do rock inglês. Uns caras muito criativos, que são acessíveis e tem tudo pra explodir nas paradas. Mas talvez, seja melhor assim… eles permanecerem como uma jóia rara do indie, donos de uma beleza que põe Coldplay, Keane, Snow Patrol e até o Radiohead atual no chinelinho. Merecem uma resenha cuidadosa, que farei a seguir. Afinal de contas, eles são donos do single do ano pra mim, On a Day Like This. E do clipe que pela simplicidade me levou às lágrimas. Deu uma vontade agora de gritar: HOLY COW! I love your eyes…. Nota 10 (e meio… hehehe).

Que Grammy que nada! Hehehehe…
Até mais!

Anúncios

4 comentários em “Melhores discos de 2008 (cont.)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s