Melhores discos de 2008

PRÉ-FACIO

Achei que ia acabar o ano sem fazer isso, mas acho que, na medida do possível, sou capaz de fazer uma lista de acordo com o que eu poderia considerar “o melhor de 2008”. Eu sempre gostei de listas, mas sei das inevitáveis complicações que elas acarretam, levando em conta gosto pessoal, estilos favoritos e tudo mais.
Esse pra mim foi mais um ano de garimpo musical, onde posso dizer que descobri muita coisa, principalmente num gênero que muito aprecio mas que vem ficando de lado nos últimos anos: o metal. Já escrevi bastante coisa sobre metal esse ano, mas não canso de me surpreender com oq ue a criatividade desses músicos é capaz de produzir.
Bem, vou então para uma lista do que de melhor eu ouvi esse ano, primiramente do que foi lançado esse ano:

MELHORES DE 2008

AC/DC – Black Ice
Não tive tempo de escrever uma resenha, mas esse é um dos melhores lançamentos do rock nos últimos tempos. Os Young despejam energia desde o primeiro riff de Runaway Train, música que já nasceu clássica. E, por todo disco, só tem clássicos. Pra mim, nota 10.

ASIA – Phoenix
Já comecei com duas bandas clássicas. Não tem como não viajar ao som de Never again e não lembrar daquela época onde ficávamos ouvindo as rádios esperando tocar clássicos de Europe, Asia e Journey para gravar nos nossos K7s. Nota 10. O quê? Não sabe quem é Steve Howie? Então vá embora daqui.

Atrocity – Werks 80 II
Depois de ouvir o que esses caras fazem com o som dos anos 80, sou incapaz de ouvir qualquer outra coisa que eles tenham lançado. Pra mim eles nasceram pra fazer covers. E são ótimos nisso… People are people, versão da minha banda favorita, não me deixa mentir. Eu dou um 9,0 pros caras, só por que depois descobri o Northern Kings, que apesar de ter tido a mesma idéia depois, é mais interessante.

Ayreon – 01011001
Quando ouço qualquer coisa que possui o nome de Arjen Lucassen eu tenho certeza que é algo genial. O cara faz um heavy progressivo muito bem tocado, e lotado de gente phoda. Ele já teve suas músicas cantadas por diversos vocalistas fodões, e todos seus álbuns contam uma história dentro de um projeto maior. O cara é foda, é a Opera Metal num nível acima de tudo que já vi nesse estilo (morra Avantasia). Esse disco tem Daniel Gildenlow (PAIN OF SALVATION) e Hansi Kursch (BLIND GUARDIAN), o que pra mim já faz do disco um clássico. Nota 9,5, só porque não é melhor que o The Human Equation.

Bittencourt Project – Brainworms I
E não é que o cara sabe cantar? Bom saber que existe um cara brasileiro, que toque tanto, consiga lançar um disco com tamanha qualidade e ainda com uma pegada prog pra Angra nenhum botar defeito. Além da versão cover obrigatória de O Pastor (cara, eu nunca tinha imaginado que essa música, que já era lindíssima com o Madredeus, ficaria tão perfeita numa versão metal). Puta bom gosto, puta disco. Nota 9,5.

Coldplay – Viva la vida
Não importa se não é melhor que X&Y e a Rush of blood to the head… Não importa se eles plagiaram o Joe Satriani. Não, nada importa, quando você se expõe aos primeiros e belíssimos acordes de Life in technicolor… Coldplay é maior do que muitos pensam e menor do que eles próprios acham. Mas ainda assim é uma das melhores bandas pop da atualidade. Nota 8,5.

Duffy – Rockferry
Se a Amy Winehouse não fosse junkie extreme e fosse bonita (e loira) ela seria a Duffy? Não, a Amy tem o seu lugar na história da música garantido, mas cada vez que eu ouço Mercy eu só consigo pensar DA ONDE SAEM ESSAS PESSOAS?! Linda, canta muito e é classuda: nota 9 pra esse disco, indispensável.

Gnarls Barkley – Odd Couple
Um puta cara criativo e um negão que canta com o âmago do útero… desde que o mundo conheceu a power fuckin Crazy ano passado, que a St Elsewhere não saiu do meu MP4. Daí eles lançam um álbum novo, rola aquela puta espectativa. É, não sei dizer se é melhor que o St Elsewhere, mas não grudou na minha orelha como o álbum anterior. Mesmo assim é melhor que tudo que a black music e o pop produziram esse ano. Nota 8.

Haggard – Tales of Ithiria

Não posso falar nada de um álbum nota 11. Falarei disso no próximo post, quando resenharei essa obra prima. Quando falo de obra prima, falo do melhor disco que ouvi no ano e de um dos melhores discos da história. Um disco nota 11, sem erros, perfeito como poucos conseguiram ser.
Até.

PÓS-FÁCIO
Pra dar um gostinho do que é o Haggard, uma música de seu álbum de 2004, Eppur si muove:

Anúncios

3 comentários em “Melhores discos de 2008

  1. Eu não escutei muitos lançamentos esse ano… e nem acho que tenham lançado obras primas como no ano passado que teve, só pra ficar em 2: Black to Black da Amy Whinehouse e Magic do “Boss” Bruce Springsteen…Mas do que eu escutei o melhor foi o Chinese Democraci do Guns… ZUERA… calma, calma….O melhor que ouvi esse ano foi o Death Magnetic do Metallica… que finalmente fez um disco bom… desde o Blck Album que isso não acontecia…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s